14.7.24

Uma história sobre amizade e superação

As férias estão aí! E nada melhor que uma boa leitura para a diversão saudável da garotada. Por isso, venho aqui para sugerir o livro "Oreosvaldo, o Pássaro das Sombras", da Editora Lê! Tenho certeza de que vocês vão amar! Clique no vídeo acima para conferir a dica bem bacana da Carol. 

Essa história é, mais ou menos, assim!

Um avestruz muito tímido tem uma amiga chamada Norbélia que, por sinal, é uma pata. O nome dele é Oreosvaldo, denominação que detesta. Por isso, por conta própria, ele se torna Billy. De onde ele tirou Billy? Ora, esse é o nome do vocalista de sua banda de rock preferida: “Os Inacreditáveis da Rua de Cima”. 

Nesta trama, existe um porco-espinho quase vilão, o Antero. Ele é como esses colegas de escola que, por qualquer bobagem, ficam no pé da gente pedindo cola, empurrando, batendo, colocando os mais pacatos contra a parede. Só não faz ideia de que o Billy seja o Pássaro das Sombras, um talentoso escritor para o qual, um dia, terá de pedir ajuda para conquistar seu grande amor. 

Já ia me esquecendo, vai haver a festa do ano: o aniversário da macaca Dalila. E a bicharada inteira está em polvorosa, menos o Billy, que gosta mesmo é de ficar na dele. Só há um problema: o avestruz, após se tornar famoso, precisará ir à comemoração de qualquer maneira para agradar a seus seguidores. 

Será quem vai chegar primeiro: o Billy ou o Pássaro das Sombras? Ah, talvez isso não tenha a mínima importância, pois, no fundo, os dois são a mesma adorável figura.


Depois conta aí o que achou, combinado?

Pedro Antônio de Oliveira

1.7.24

A boa verdade sobre nós


Dizem que somos especiais, a única espécie no universo capaz de sorrir, de produzir lirismo, de sentir o sabor dos alimentos e ter sentimentos variados, bem diversos. 

Achei isso incrível, porque sempre imaginei que fôssemos atrasados. Pensei que evolução mesmo era viver como aqueles seres estelares que conversam por telepatia, se alimentam de energia e nem precisam ir ao banheiro para fazerem suas necessidades. 

Mas não. Somos a menina dos olhos do Criador e acompanhados bem de perto por nossos irmãos das estrelas. Ouvi dizer que todos querem ser como a gente. Imagine só! O povo lá das naves espaciais deseja muito ser como nós. Porque nosso corpo seria a mais complexa máquina já inventada pelo grande Engenheiro da Vida. Somos a mais rica criação de que já se tem notícia. Talvez, por isso, ocorram as abduções, os testes genéticos em humanos levados em discos voadores... Muita gente não acredita, entretanto são inúmeros os relatos. Eles estariam tentando decifrar nossos mistérios, conseguir um pouco da nossa carga genética para serem, um dia, iguais a nós.

Moralmente ainda estamos engatinhando, mas caminhamos na direção certa. Já evoluímos bastante, embora possa parecer que não. Afinal, noticiam por aí, o tempo todo, que o mundo anda péssimo, ruim como nunca. Porém, isso é um engano. O planeta e as pessoas melhoraram muito. É que a má notícia ainda está no cardápio do dia. Contudo, em breve, teremos a certeza de que há muita coisa boa acontecendo e de que o mal, infelizmente, ainda chama mais a atenção. 

Temos leis que protegem as mulheres, os bichos, as crianças... Só precisamos fazer com que sejam efetivamente cumpridas. Chegaremos lá. Antes nem se falava em igualdade racial, em diversidade, em direitos dos idosos.

Voltando à questão de que somos únicos, exclusivos em nossos dons: o que garantem por aí é que música, poesia, pintura, essas manifestações lindas e sensíveis, apenas nós somos capazes de empreender, entre todas as galáxias existentes. Olham pra gente e nos enxergam como crianças no jardim da infância. Não nos consideram maus, apenas imaturos, espécies em evolução e, dessa forma, nos respeitam e nos tratam com o carinho de irmãos mais jovens que somos. Não é maravilhoso?

Parece fábula tudo isso? Fantasia? Bem... deixo pra você sonhar, imaginar e acreditar ou não. 

A propósito, já ouviu falar em sementes estelares? Quer saber o que são?

Então, clique aqui agora!

Pedro Antônio de Oliveira