20.12.18

Sempre-viva

Foto: Eco Vida
sempre-triste
no seu jeito interiorano
tingida de fúcsia
e turquesa
diz que é tinta
diz que desde sempre era
tudo tudo tudo tinta
e o corpo diamantino
é palha seca

Angela-Lago

Foto: Folha Uol
Este poema lindo faz parte do livro "O caderno do jardineiro", Edições SM, da escritora e ilustradora Angela-Lago. Mineira de Belo Horizonte (minha terra querida), a autora nos deixou em 21 de outubro de 2017. Na ocasião, eu estava de férias em Fortaleza (CE), sol, calor, alegria... mas, de repente, fiquei triste, muito triste com a notícia. Sempre admirei a Angela por sua elegância ao esculpir as palavras e tocar nosso coração como a regente de uma orquestra de luzes. Nas estrelas, no infinito, nos confins do céu... de onde ela estiver, que continue nos inspirando com sua arte e sensibilidade.
Angela, de fato um ser humano especial.

Um beijo, Angel!

Pedro Antônio de Oliveira

Nenhum comentário: